RSS
Write some words about you and your blog here

Só mais um adeus

Já faz algumas semanas que venho adiando em escrever esta carta, dando a mim mesma mil e um motivos para não dar importância ao que aconteceu entre nós, assim como não me incomodar com tal fato e deixar as coisas como estão.


Por alguns dias consegui ignorar o incomodo que isso tudo me causou, no entanto, chegou a um ponto que não consigo mais não pensar no que aconteceu. Logo, preciso colocar isso pra fora de algum jeito. Como conversar com amigos não tem sido o suficiente, tive que recorrer ao papel e caneta mais uma vez. Escrever sobre o quer sinto sempre me ajudou muito e dessa vez não será diferente. Creio que terminar essa carta, não vou ter resolvido esse problema entre nós, no entanto, tenho certeza que estarei em paz comigo mesma. E minha paz de espírito é o mais importante do que qualquer outra coisa.


Olhando um pouco pra trás e recordando do dia que nos conhecemos, é quase impossível de acreditar que tenhamos nos tornado amigos. Digo isso devido a profunda antipatia que senti por você “à primeira vista”. Era algo que não tinha qualquer explicação, afinal em momento algum você me deu motivo pra isso, no entanto, existia e era bem intenso.


Só que ao contrário de mim, você pareceu ter sentido uma empatia por minha pessoa quase tão intensa à minha antipatia. Arrisco dizer que foi isso, somado à sua persistente insistência de sempre ficar conversando comigo antes da hora da entrada e no recreio que fizeram com que a antipatia sem sentido perdesse forças e acabássemos nos tornando amigos.


E a cada dia que passava, mais nossa amizade crescia. Fomos vendo o quanto em comum tínhamos um com o outro: nossa paixão por livros, o amor por escrever, o mesmo gosto musical, o mesmo sonho de publicar um livro e tantas outras coisas que dariam páginas e mais páginas se fossem enumeradas aqui.


Sim, éramos bons amigos. Arrisco-me dizer que talvez fossemos mais que amigos e que havíamos descoberto a essência mais pura da palavra amizade. Não só rimos juntos, como choramos juntos também. Sua alegria era minha alegria, assim como minha dor era sua dor.


Você foi um dos poucos que esteve ao meu lado quando eu estive à beira de uma depressão, assim como eu sempre sequei suas lágrimas quando elas teimavam em cair diante de algum problema. Eu era uma das poucas que sempre tentava te animar quando você estava pra baixo, assim como você sempre me fazia sorrir. Você sempre me deu palavras de incentivo, assim como eu sempre acreditei no seu potencial. Quando um estava prestes a cair, o outro sempre estava pronto para dar a mão. Quando um queria voar, o outro logo dava asas (éramos craques nisso lembra? Ficávamos fantasiando como seriam nossas tardes de autógrafos quando fossemos escritores famosos). Um sempre acreditou no sonho do outro...


Lágrimas, sorrisos, momentos cômicos, micos, situações difíceis, vitórias, derrotas... Tanta coisa, tantos momentos... Uma amizade como a nossa, era coisa rara de ser encontrada.


Realmente era difícil de acreditar que um dia nós dois íamos nos tornar tão amigos. Mas mais difícil do que isso, era imaginar que um dia essa amizade chegaria ao fim.


Nesses dois últimos anos temos gradativamente nos afastado um do outro e, embora saibamos o que desencadeou esse afastamento, isso não vem ao caso. Nesse dois anos nos vimos pouquíssimas vezes, nos telefonamos cada vez menos, praticamente não nos falamos mais pela internet... A culpa não é sua nem minha, mas acabou acontecendo. No entanto, não foi o afastamento que causou o fim da nossa amizade; por mais distante que você estivesse, sempre acreditei que seria meu amigo, assim como sempre estive aqui pra quando você precisasse.


Sinceramente, eu acreditava que seríamos amigos pra sempre...


Há algumas semanas um colega meu fez uma brincadeira infantil e de completo mau gosto usando uma foto sua. Sinceramente, não entendi por que ele fez isso com você, já que são apenas conhecidos e nunca tiveram qualquer problema um com o outro. Só sei que não vi graça nenhum naquilo.


Claro que eu não iria azucrinar sua cabeça quanto essa brincadeira babaca. Eu sei o quanto enrolado você está por causa do vestibular e que isso só ser ia uma perturbação a mais. Tudo que eu podia fazer era denunciar a foto por abuso e deixar os responsáveis do site tomarem as providências necessárias para tirá-la do ar. E foi o que fiz.


Alguns dias se passaram e qual não foi minha surpresa quando, conversando com um amigo nosso, ele comenta que você tinha certeza que eu era a autora daquela brincadeira idiota?! Aquilo me deixou pasma! Como poderia desconfiar justamente de mim?! Será que os anos de convivência não foram o bastante pra me conhecer o suficiente ?! Que eu, que sempre fui contra a homofobia, nunca teria a coragem de fazer uma brincadeira tão baixa como aquela nem pra alguém de quem eu não gostasse?!


Decidi te ligar, pra esclarecer aquela história ,afinal, eu não era a autora daquela montagem ridícula.


Saber por outra pessoa que você tinha certeza que era eu me deixou magoada, mas ouvir sua voz dizer “Eu não acredito em você”, me deixou completamente chocada.


Como assim?! Como você não acreditava na pessoa que foi sua amiga por anos?! A mesma que te apoiou sempre que você precisou! Eu não merecia nem mesmo ser suspeita, mas você não me deu nem mesmo o voto da dúvida! Não dá pra entender como você prefere acreditar que não foi o meu colega do que acreditar não fui eu!


Não esperava isso da sua parte.


Mas como eu disse quando nos falamos por telefone, por mais que eu valorize uma amizade, não farei qualquer esforço pra provar que estou falando a verdade. Não seria nenhum pouco difícil conversar com o autor da montagem, tocar no assunto e fazê-lo admitir a brincadeira sem graça enquanto meu mp5 estaria gravando o áudio da conversa e enviar pra você. Mas sabe, não vou me dar a esse trabalho. Minha palavra deveria ser o bastante, mas se ela não é, não posso fazer nada.


Diante do ponto que isso chegou, do afastamento cada vez maior que nasceu entre nós e sua desconfiança quanto a mim, não consigo mais vê-lo como amigo.


Tomar essa decisão não foi fácil. Não é fácil pôr fim numa amizade de anos, que tinha tudo pra durar pra sempre, mas é necessário. Chegou a um ponto que alguém precisava decidir o que fazer. E esse alguém serei eu.


Não vou ligar pra você, nem mandar e-mail ou qualquer tipo de contato. Estou categoricamente abrindo a porta da sua vida e saindo dela com as minhas próprias pernas e pondo um ponto final nisso que um dia chamamos de amizade. Fazer isso não é nada fácil, mas é menos doloroso do que ver você fazendo isso no meu lugar.


Não vou ser infantil e dizer que nunca mais falarei com você, ou coisa do gênero, afinal o mundo dá voltas e nunca mais é tempo demais. Só que não dá pra ser amiga de alguém que não acredita em mim e me acusa de algo que eu não fiz. E sou sincera ao dizer que vai levar tempo pra esquecer o quanto sua acusação me magoou e mais tempo ainda pra algum dia eu pensar em ser sua amiga novamente.


Bem, isso é tudo.
Saúde e paz são os desejos dessa que um dia foi sua amiga.


Ass: R. Rocha
_______________________________________________________

Extraído do diário pessoal da escritora do blog.

3 comentários:

††Lady Chrissy†† disse...

Rafa, eu realmente fico muito triste com essa história,mas essas são as pessoas, nunca sabemos o que esperar delas. Se alguém não confia em você, então não é alguém digno de caminhar ao seu lado. Você não precisa que ninguém acredite nas suas palavras além de você mesma, você tem a sua certeza, a consciência de que não é a culpada, e isso já deve ser tido como mais do que suficiente.

Fique bem ^^ relaxe, como você mesma disse: o mundo dá voltas.

=***********
te amo

Jonas Lupus disse...

"Eu não acredito em vocÊ."

Sim, simples, mas forte...potente...

Devastador!

Rafa...

tô aqui, sempre.

^^

John disse...

É Rafa,as pessoas nos surpreendem!
você sabe o que passei!
mas relaxe, essas pessoas um dia iam aparecer em nossas vidas.

Te amo!

By Johnzooodo

††Lady Chrissy†† disse...

Rafa, eu realmente fico muito triste com essa história,mas essas são as pessoas, nunca sabemos o que esperar delas. Se alguém não confia em você, então não é alguém digno de caminhar ao seu lado. Você não precisa que ninguém acredite nas suas palavras além de você mesma, você tem a sua certeza, a consciência de que não é a culpada, e isso já deve ser tido como mais do que suficiente.

Fique bem ^^ relaxe, como você mesma disse: o mundo dá voltas.

=***********
te amo

Jonas Lupus disse...

"Eu não acredito em vocÊ."

Sim, simples, mas forte...potente...

Devastador!

Rafa...

tô aqui, sempre.

^^

John disse...

É Rafa,as pessoas nos surpreendem!
você sabe o que passei!
mas relaxe, essas pessoas um dia iam aparecer em nossas vidas.

Te amo!

By Johnzooodo