RSS
Write some words about you and your blog here

Quem é Atelas?

Escrever sobre Atelas é uma tarefa fácil e ao mesmo tempo extremamente complexa.

Digo isso porque trata-se nada mais nada menos do uma das principais personagens de toda a saga dos livros “Stones”(embora muitas vezes ela mais pareça ser a personagem principal, já que toda a trama gira em torno dela, tanto na vida anterior, como na atual); sem contar que quase todos os personagens foram criados depois dela, e um bom número foram criados pensando nela. Ou seja, a importância que ela tem em todo o enredo faz com que falar de desta personagem seja uma grande responsabilidade.

Atelas foi uma dessas personagens que meio que surgem de presente na cabeça de um autor; algo semi-pronto, que não exige muita imaginação para deixá-lo exatamente do jeito que se quer. É mais ou menos como ganhar uma estátua de gesso prontinha, na qual você só precisa se dar ao trabalho de pintá-la ao seu gosto. Com Atelas foi exatamente assim; num simples estalar de dedos ela estava ali; só precisei pensar mais um pouquinho(modéstia à parte não tive trabalho algum) para trabalhar um pouco mais a personalidade, sua história e a relação que teria com cada personagem que vai aparecendo ao longo do livro.

E “BADABIM-BADA-BUM”! Lá estava a Representante de um dos Anjos de Eternia, prontíssima.

Desde que comecei a escreve “Stones” a idéia inicial era fazer de Atelas e Glauir(seu par romântico tanto na vida passada quanto na atual) os personagens principais, no entanto, desde que escrevi o prólogo, vi que todo o destaque é para a jovem paladina. Querendo ou não, mesmo Glauir sendo um personagem ótimo(modéstia à parte) acaba perdendo parte de seu “brilho” em batalhas quando Atelas está por perto (talvez inconscientemente sabendo de tal fato, coloquei esses dois separados desde o começo de “Stones”: para das mais destaque para a atual vida de Glauir, o que é um pouco mais fácil mantendo Atelas um pouco longe).

“Por trás de todo bom santo há um grande demônio controlado”. Não lembro quem é o autor dessa frase, só sei que a escutei há uns tempos atrás e resume bem uma das características que mais gosto nesta personagem. Arrisco dizer que a maioria das pessoas que já leram meu livro(tanto algumas partes como na íntegra) gostam dela exatamente por isso. Gentil, amável, solícita, carinhosa com todos que ama, é aquela típica pessoa que em uma batalha o adversário não dá absolutamente nada por ela; sem contar que sua aparência frágil e delicada contribui ainda mais para tal julgamento. No entanto, basta começar uma batalha para o oponente se ver completamente equivocado. Atelas bate como um homem e tem uma habilidade com espadas pra Musashi nenhum colocar defeito.

Gosta de ser forte não pra usar sua força de forma exibicionista, mas sim pra ter certeza que é forte o suficiente pra proteger tudo aquilo que ama.

“[...]há um grande demônio controlado”; isso não se refere apenas a força descomunal por trás da aparência inofensiva. Em certas ocasiões, mais precisamente quando ferem algo ou alguém que ela ame muito, ela perde completamente todo o controle sob seu “lado malvado”, tornando-se um demônio devastador e impiedoso, que só se acalma quando a vida do oponente não existe mais.

Se escrever um personalidade assim é complicado? Na verdade, não muito. Só é necessário um pouco de atenção pra na hora que o “demônio” é despertado, fazer a transição sem forçar a barra e sim deixar ocorrer da maneira mais natural possível. Acredito que o quê ajudou bastante pra tornar isso fácil tenha sido o mangá “Ruroni Kenshin”, de Nobuhiro Watsuki. O personagem principal também tinha seu “lado negro”, assim, pude ver como explorar essa característica da melhor maneira.

Sim, por incrível que pareça a personagem que me ajudou a moldar os últimos detalhes de Atelas, é Kenshin Himura(um homem?!), que também é solícito, amável, ninguém dá nada por ele numa luta, maneja um a espada com um bicho e, vez ou outra, quando seu lado negro desperta (da época em que era conhecido como “Retalhador”), sedento por sangue e morte.

Talvez – ou melhor, bem provável – Atelas tenha surgido tão prontinha na minha cabeça e tão semelhante ao Kenshin por eu ser uma fã do personagem (assim como algumas de suas últimas características foram pensadas inspiradas no ex-retalhador).

Atelas e Kenshin podem ser bastante semelhantes, todavia possuem histórias tão distintas que é uma insanidade se quer mencionar que ela é uma cópia de Himura. São personagens distintos entre si e que vivem em universos completamente diferentes.

Bem, essa é a primeira vez que escrevo os “comos” e “por quês” de algum de meus personagens e meio que não consegui pensar em ninguém melhor pra ser o primeiro do que uma das minhas favoritas(embora ame todos os outros), sem contar a personagem principal de “Stones”.

3 comentários:

††Lady Chrissy†† disse...

você vai me matar ... mas depois de ler tudo isso, me deu vontade de comparar a Atelas com a Xena! uahauauhuahua
=****

melissa veronica disse...

Engraçado...li super pouco de Stones, pra falar a vdd, só a Introdução, mas só naquele espaço deu pra ver como a personagem Atelas é importante na história e como ela é brilhante realmete! Ela é mto *-*

Guilherme Crubellati disse...

Meus personagens surgem inteiros na minha mente...mas eu retalho eles por preguiça de criar toda a história por trás =P

††Lady Chrissy†† disse...

você vai me matar ... mas depois de ler tudo isso, me deu vontade de comparar a Atelas com a Xena! uahauauhuahua
=****

melissa veronica disse...

Engraçado...li super pouco de Stones, pra falar a vdd, só a Introdução, mas só naquele espaço deu pra ver como a personagem Atelas é importante na história e como ela é brilhante realmete! Ela é mto *-*

Guilherme Crubellati disse...

Meus personagens surgem inteiros na minha mente...mas eu retalho eles por preguiça de criar toda a história por trás =P